Páginas

O blog

Era uma vez um caderninho onde eu costumava escrever para fazer a hora passar mais rápido e também para aquietar os pensamentos. Não demorou muito e suas folhas estavam todas preenchidas, e lá se foi ele para o fundo de uma gaveta. Outro então comprei e continuei escrevendo até que como o primeiro, se encheu e foi se juntar a ele lá na gaveta. E assim foi com os demais; claro que houve pausas umas até longas, entre cada um...
Eu gostava de vez em quando de ir até a gaveta e pegá-los para ler, assim era fácil relembrar coisas que aconteceram, tanto as boas como as ruins, eu podia saber como eu estava me sentindo naquele determinado momento. Enfim...
O tempo foi passando, e em meio a algumas faxinas e essa não foi feita por mim evidentemente, eles acabaram indo pro lixo. Isso mesmo, pro lixo! Vê se pode! Eu fiquei triste por que eu adorava aquelas frases tortas, aqueles textos bagunçados cheios de um não sei o que que eu jurara guardar minha vida toda, e que certamente me encheriam os olhos d'água e o coração de saudades quando a idade me alcançasse, pois eu bem sei que esse é o tempo que andam vagando as recordações, não se tem muito o que fazer. E lá se foi tudo para o lixo. Não terei mais como relembrar esse tempo quando minha mente falhar. Espero que o tempo me poupe a memória...

Lá se foi a historinha meio que trágica, dos meus caderninhos... 

Pois bem, decidi que não iria escrever mais nenhum caderno; claro que isso não aconteceu. Na verdade eu continuei escrevendo, só que moderadamente e com menos frequência. E então um dia, decidi fazer esse blog.
A princípio era uma coisa só para mim, algo como um caderno eletrônico, aqui tudo estaria a salvo, não correria o risco de que fosse parar no lixo.
Resolvi agora que qualquer pessoa pode ler, quem sabe minhas palavras podem fazer algum sentido para alguém; o que é que eu tô dizendo!? Às vezes elas nem fazem para mim... Deixa quieto. 
Aí está, tudo muito simples mas feito com muito amor. Não espero que todo mundo goste. Apenas leiam e tirem algum proveito, se é que isso se pode fazer... Só não se deixe contaminar-se com minha falta de gosto pela vida. Aconteceu por acaso, mas não é do meu agrado. Tudo aqui é meio dramático, triste, mas vou tentando aqui e ali escrever alguma coisa mais alegre, vocês vão notar isso. Notarão também a presença constante da palavra cinza, é que ela vem me tomando de um jeito que já estou pensando na possibilidade de quando eu morrer ser cremada, tornar enfim cinzas... Vê, ela não me deixa...

Está fazendo o que aqui, ainda? Vai lá ler meus textos. Risos...
Serena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário